Em destaque

A grande caldeirada

caldeirão

Estamos numa grande cadeirada ideológica. A dita esquerda moderada governa-nos com os tiques estalinistas, maoistas e sem lá que mais… Uma grande caldeirada de ideias e idiotas que pensam ter ideias para um país mais justo. A dívida pública não para de aumentar, e estes iluminados, fazem querer aos portugueses que nunca vão ser chamados a pagar. Já tivemos três resgates e por este caminhar cedo virá outro, que os socialistas não vão ter a quem deitar as culpas.

Como exemplo da foto, esta caldeirada que nos governa a troca de favores da esquerda radical merecia um banho de calda de sulfato para termos uma colheita mais justa nos próximos anos. À que sulfatar esta geringonça perdida no estado de graça que Marcelo Rebelo de Sousa vai alimentando como nada se passasse.

Resguardem-se as nossa economias, porque os especialistas em gastar papel (PS), não investem nos cuidados de saúde, na educação, na segurança social. Assim é fácil cumprir metas orçamentais para Bruxelas, sem investimento público, e o país a ficar cada vez mais pobre, muita pobreza nas famílias. Não são rosas Senhor, é o pão que o povo precisa, são dois milhões de necessitados, meu Senhor…

Anúncios

Antes que um juiz me obrigue a fechar o blogue, sou eu que o fecho.

Para viver em sociedade não se pode fazer critica social ou politica, nem institucional. temos que ser subjugados ao politicamente correto.

Por isso e muito mais, neste regime que vivemos em Portugal de opressão à verdade, fecho o blogue. Não tenho dinheiro para contratar um bom advogado.

Obrigado por terem-me acompanhado.

Até sempre!

Pobreza limita direitos, alerta Marcelo

 

Eu pasmo-me com a frieza com que se trata um assunto tão sério para os portugueses. Continuámos com 2 milhões de pobres, que não têm acesso à justiça como um ricaço que parte em  vantagem para um processo judicial, escolhe os melhores e mais bem pagos advogados, enquanto que o pobre é espoliado dos seus bens e direitos. Se tu tens dinheiro e influência nos tribunais, estás protegido, se não, espera-te a falência e o descrédito público.

Não entendo como  pode o órgão máximo da República Portuguesa, falar e afirmar esta lacuna da sociedade portuguesa. Se ele viesse dizer que ia estar atento às atrocidades da justiça portuguesa, aí sim, é para falar, agora andar constantemente a deitar água na fervura, não pode ser, não é justo. Parece que é o seu maior dom ” Pôr água na fervura”.Marcelo

É só fachada!!

Acho engraçado aqueles defensores do politicamente correto, mas que exploram o seu semelhante, que humilham os toxicómanos, os alcoólicos, etc… Nunca vi um Presidente de uma Câmara ou de Governo sentarem-se ao lado de uma pessoa que está na berma da estrada a sofrer, eles vendo, passam nos seus topos de gama como se nada fosse. Gosta-se de viver de aparências, de parecer aquilo que não se é, como chegar a casa e só porque o seu clube de futebol perdeu, a mulher e os filhos levam com a moca. Valha nos Deus como eles são uns santinhos e bem comportados.
No meio de tanta hipocrisia, salve-se as pessoas honestas e humildes que enchem-nos a alma.

Quito 04.07.09


Peter Quiet 10/12/2017

Revolução silenciosa, Prof.º Marcelo!!!???

Este país está entregue à mediocridade e hipocrisia permanente.

Gostava de saber o que é isso de revolução silenciosa? O nosso Presidente da República não tem a mínima noção do que é a relação empregado patrão. Esta revolução silenciosa está nas 12, 14, 16 horas que muitos empregados trabalham para ganharem ordenados que os possam sustentar. Revolução silenciosa não é dizer que ainda é cedo para tirar conclusões dos acontecimentos de Pedrogão Grande… Estes números do Presidente dos afetos e da hipocrisia, mostram como Portugal se torna pequenino nas mãos da esquerda consumida pela incompetência.

Senhor Presidente, por mais afetos que V. Exa. dê, nunca vai trazer de volta os mártires dos incêndios de Pedrogão Grande e não só. O senhor doutor professor de Celorico de Basto devia pensar mais nos desfavorecidos e descriminados politicamente da sociedade, do que andar a chorar lágrimas de crocodilo para  a TV ver.

Deixe-se de ilusões e como V. Exa., não é diferente dos outros Presidentes da República, que mal começam o mandato,  já estão a pensar no segundo, para memória futura, não ficarem para trás.

Ponha os pés na terra, que nossos antepassados derramaram sangue, para você andar por dá cá aquela palha a enviar afetos derretidos em imposturice. Mostre o que é ser valente e não um  pau mandado do sistema.

D. Afonso Henriques fundou Portugal. V. Exa. faça algo memorial e deixe-se de números de circenses.

A caminharmos para o marxismo e o povo sem dar por ele…

Hoje em dia os negócios que metem empresas estrangeiras de grande envergadura são postos em causa, pela mão inquisitória dos partidos que apoiam o governo, ou seja, a esquerda radical que quer levar Portugal para um regime estalinista ou trotskista, tal é o empenho em fazer que as instituições e autoridades públicas vetem qualquer negócio de grande investimento privado. Estou a falar, por exemplo, da Média Capital, para quem não saiba, dona da TVI, estação de televisão multimédia, pela Altice empresa francesa em que um dos acionista é um português.

A maior parte dos portugueses com direito a voto nas urnas, não sabe, ou não faz ideia, do que a Constituição Portuguesa diz, vou citar: – um país que caminhe para o socialismo!

Caminhar para o socialismo não é caminhar para o partido socialista, completamente errado. Caminhar para o socialismo é para a ditadura do proletariado que vigora na Coreia do Norte , isolada do mundo governada por um “louco varrido”. Caminhar para o socialismo é partido único, onde democracia que quer dizer o poder do povo, não é representado por ninguém, mas por um ditador e suas corjas que governam com mão de ferro.

A ERC, onde Carlos Magno, foi apertado pelos socialistas da extrema esquerda, teve que tirar o capote da chuva e passar a bola para a Autoridade Nacional da Concorrência, como sabem, ai quem impera é o partido socialista refém da extrema esquerda.

A treta do grande capital como o partido comunista sabe muito bem falar, tem sido o que nos tem posto a pedir esmola, por não o aceitar democraticamente.

Quando vier a fatura para pagar destes extravios esquerdistas que o povo não se lamente por ter memória curta e não ter pensado a médio e longo prazo, ou seja, nos filhos e netos.